pelas ruas e esquinas (do corpo)

Ando pelas ruas em dias chuvosos
e ouço o silêncio sonoro da dor

em cada esquina
(dos corpos)

num orquestrado encontro de sons
que consiste de silêncio e chuva

e nos lava com o infinito
para renascermos

de nossa própria dor

porque assim como a chuva
há de passar

e há

também de permanecer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s